19
Sáb, Ago

+ Notícias

Facilitar a vida do setor produtivo. Foi com essa intenção que um grupo de AFFAs (Auditores Fiscais Federais Agropecuários) vinculados à Fiscalização da SFA/PR (Superintendência Federal de Agricultura do Paraná) chegou ao Painel Brasileiro de Sementes. A ferramenta é de consulta pública e está disponível no site do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) com objetivo de proporcionar consultas sobre a produção de sementes no país através das espécies, cultivares e até localidades onde são originárias. (Acesse aqui).

 “A intenção era fornecer dados de maneira mais confiável e transparente, pois esta é uma demanda muito forte do setor produtivo”, disse o AFFA Glauco Bertoldo, um dos responsáveis pelo Painel. Além dele, também atuam neste trabalho os colegas Hugo Caruso, Samira Mohamed El Tassa, Ariane Tomazini, Ildomar Ivan Fischer e Camila Santos Vieira.

 Bertoldo também integra o grupo que desenvolveu o Sigef (Sistema de Gestão da Fiscalização), um programa de sistematização de dados virtual que reduziu consideravelmente o tempo para a análise das inscrições de campos de produção de sementes e dos pedidos de reserva de parte da produção para a semeadura de lavouras próprias.

 Realidade para as empresas produtoras de sementes desde 2013 para os trâmites de inscrição de campos de sementes, o Sigef foi atualizado em setembro de 2016 para atender os produtores rurais para a entrega da declaração de reserva de sementes para uso próprio via WEB, que antes precisava ser enviada MAPA via Correios ou em uma de suas unidades, agilizando, assim, os trâmites no órgão. O sistema está disponível em sistemasweb.agricultura.gov.br >>> Secretaria de Defesa Agropecuária >>> SIGEF – Módulo de Controle da Produção de Sementes e Mudas.

Iniciativa - Tanto o Sigef como o Painel Brasileiro de Sementes são iniciativas dos filiados, baseadas nas experiências diárias de trabalho, que contribuíram para reduzir o trâmite burocrático e propiciar o conhecimento, por meio de um banco de informações inédito, a todas as áreas interessadas.

“Esses trabalhos são apenas a ponta do iceberg. Estamos trabalhando em outras ações que facilitarão ainda mais a vida, não apenas do produtor ou responsável técnico, mas, também, de quem executa as atividades de fiscalização ”, adiantou Glauco Bertoldo.