15
Sex, Nov

+ Notícias

O DOU (Diário Oficial da União) divulgou, dia 15 de outubro, o edital (veja aqui) para o processo seletivo interno para candidatos ao quadro de acesso ao posto de adido agrícola junto às representações diplomáticas brasileiras no exterior.

Dos selecionados no resultado final das provas discursivas, cerca de 90% são AFFAs (Auditores Fiscais Federais Agropecuários).

Além de divulgar o nome dos selecionados para a próxima fase, o edital traz informes sobre a prova oral, que será dia 20 de outubro. O resultado provisório será publicado no Diário Oficial da União e divulgado na internet, no endereço eletrônico do processo seletivo, após três dias.

O processo seletivo é conduzido pela Escola Nacional de Administração Pública (ENAP) e pelo Cebraspe, em coordenação com a Escola Nacional de Gestão Agropecuária (Enagro). O objetivo é selecionar para a função de adido 54 candidatos entre servidores públicos federais, empregados públicos de quadros efetivos de empresa pública ou de sociedade de economia mista federais.

De acordo com o diretor de Política Profissional do Anffa Sindical, Antônio Andrade, apesar de o decreto 9667/2019 ter ampliado a adidância agrícola para outras áreas, o resultado do processo seletivo demonstrou que o posto é essencialmente vinculado às especificidades da carreira de AFFA.

“O número expressivo de selecionados revela que o Anffa Sindical sempre esteve no caminho certo ao lutar, junto ao Ministério da Agricultura, para que a carreira exerça tal função”, disse.

A seleção para adidos agrícolas é rigorosa e pautada por um processo meritocrático, o que é uma conquista para a categoria. Segundo Antônio Andrade, o Sindicato continuará a busca pela implementação dos processos meritocráticos, também, em outras funções dentro do MAPA.

“Não estamos exagerando ao dizer que os colegas que participam do processo para adido são a elite da carreira e que esta seleção é construída no mérito de cada um.”, reiterou.

Hoje, dos 19 adidos agrícolas atuantes em países como a Argentina, a Colômbia, o México os Estados Unidos; a Bélgica; a África do Sul; a Arábia Saudita; a Tailândia; o Vietnã; a Índia; a Indonésia; o Japão; a Coreia do Sul; a China, a Rússia; o Canadá; o Egito; e o Marrocos, 17 são Auditores Fiscais Federais Agropecuários – atuam nos seguintes países: Argentina; Colômbia; México; Estados Unidos; Bélgica; África do Sul; Arábia Saudita; Tailândia; Vietnã; Índia; Indonésia; Japão; Coreia do Sul; China, Rússia; Canadá; Egito; e Marrocos. O projeto é que o número de adidos suba para 25 até o final do ano, expandindo a atuação desses profissionais para outros países que potencialmente o Brasil possa exportar seus produtos agropecuários. 

0
0
0
s2sdefault