SIF, orgulho nacional

  O Serviço de Inspeção Federal (SIF) é um organismo público especializado do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA), criado e estabelecido com a finalidade de atuação no campo de Inspeção Industrial e sanitária de alimentos de origem animal

 – I Formação do parque industrial brasileiro de carne

          Em decorrência da 1ª Grande Guerra Mundial de 14/18, firmas inglesas e norte-americanas, construíram e adaptaram em instalações existentes nos estados de São Paulo, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, grandes Matadouros Frigoríficos, objetivando a exploração da matéria prima abundante e barata proporcionada pelos nossos rebanhos, com vistas à exportação de carnes à Europa em guerra. 
          Essas indústrias, devidamente instaladas, para cá trouxeram seu equipamento especializado, sua técnica avançada, os recursos de refrigeração comercial das carnes até então aqui desconhecidos, e a sua experiência de grandes empresas de âmbito internacional.
          O desempenho do SIF começou com a instalação dessas empresas, uma vez que os países importadores de produtos nacionais exigiam que fossem certificadas a qualidade tecnológica e as condições higiênico-sanitárias desses produtos. As primeiras gerações pioneiras de seus técnicos surgiram com a instalação desses frigoríficos. 
          Destes, assimilaram a filosofia e o “know how” tecnológicos, que levados para as nossas primitivas e precárias indústrias, transformaram-nas, por etapas, em matadouros frigoríficos da mais alta qualificação técnica e higiênico-sanitária. O reflexo de tudo isso, é que se acelerou a escalada do desenvolvimento da pecuária de corte região centro-sul do país. Temos o maior rebanho comercial do mundo, e somos possuidor do titulo de maior exportador de carne bovina do planeta.
          O parque industrial de carnes _ verdadeiro canteiro de obras_ o nível tecnológico, as condições higiênico-sanitária, e o padrão do Serviço de Inspeção Federal brasileiro, são considerados os melhores do mundo. Isso tem sido atestado por rigorosíssimas missões técnicas estrangeiras que nos visitam periodicamente.

II – Atuação do Serviço de Inspeção

          O Serviço de Inspeção Federal (SIF) é um organismo público especializado do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA), criado e estabelecido com a finalidade de atuação no campo de Inspeção Industrial e sanitária de alimentos de origem animal.
          Destaca-se, à grosso modo, como seu campo de atividade, os seguintes pontos de inspeção;
a) Nas propriedades rurais, fornecedoras de matérias primas destinadas ao preparo de produtos de origem animal;
b) Nos estabelecimentos que recebem, abatem e/ou industrializam as diferentes espécies de açougue;
c) Nos estabelecimentos que recebem e beneficiam leite e/ou o destinam, no todo ou em parte ao consumo público;
d) Nos estabelecimentos que recebem o pescado, para a distribuição e/ou industrialização;
e) Nos estabelecimentos que produzem mel e cera de abelha, para beneficiamento e/ou distribuição;
f) Nos estabelecimentos que produzem ou recebem ovos para a distribuição e/ou industrialização;
g) Nos portos marítimos e fluviais e em postos de fronteira.

Suas atribuições compreendem:
a) A higiene geral dos estabelecimentos registrados;
b) A captação, tratamento e distribuição de água de abastecimento, bem como das águas residuais;
c) Funcionamento dos estabelecimentos;
d) As fases: de recebimento, elaboração, manipulação, preparo, acondicionamento, conservação, transporte e depósito de todos os produtos e subprodutos de origem animal e suas matérias primas, adicionadas ou não de vegetais;
e) A embalagem e rotulagem de todos os produtos e subprodutos;
f) Os exames tecnológicos, microbiológicos e químicos das matérias primas e produtos, quando for o caso.

          Para o fiel desenvolvimento desses trabalhos, ou seja, para o controle técnico e higiênicosanitário de mais de 4.000 estabelecimentos que encontram-se em seus registros, o SIF contava com mais de l.000 Fiscais Federais Agropecuários, e mais de 7.000, Agentes de Inspeção (não sei os nºs atuais), além de químicos e farmacêuticos, que dão suporte laboratorial, analisando amostras dos produtos elaborados.

Tais funções compreendem:
a) Inspeção permanente em estabelecimentos produtores de carne ou de alta produção de leite e derivados;
b) Inspeção periódica, em fábrica de laticínios de baixa produção, estábulos leiteiros, entreposto de ovos, etc.. Pessoal administrativo para o desempenho do controle burocrático do órgão fiscalizador.
          O desempenho básico dos serviços é feito através de unidades denominadas IIFF, sob a égide de um ou de até três Fiscais Federais (estabelecimentos exportadores), que comandam uma equipe composta por vários Agentes de Inspeção.
          No campo prático – Inspeção Tecnológica – as equipes constituídas baseiam-se em “normas”, para cada espécie animal (bovinos, suínos, aves, leite, etc.), além do necessário treinamento pessoal que e feito à admissão do Serviço, como também durante o transcorrer de sua vida profissional e sempre que é necessário. Toda a atividade é documentada, da pesquisa das moléstias encontradas à liberação dos produtos em todas as fases, sendo os dados quantificados e arquivados.
          Mantém assim, o Serviço de Inspeção Federal, uma memória das miais significativas em termos científicos e da própria aplicação no campo zootécnico ou econômico financeiro. Trata-se de um verdadeiro “Banco de Dados”, estatisticamente trabalhado, capaz de fornecer informação sem precedentes e sem comparação, talvez com qualquer atividade semelhante. Pode-se praticamente, estabelecer a história da
evolução de uma bacia leiteira, seus progressos e recuos e suas variações. Pode-se estudar também qualquer tipo de rendimento na parte ou no todo, estabelecendo-se proporções entre carnes e subprodutos, leite e derivados ou quantidade de animais, produção e assim por diante.
          Desta forma, além dos inestimáveis serviços desenvolvidos em defesa da Saúde Pública e dos interesses econômicos da nação, possui o SIF, dados informativos capazes e servirem de luz segura ao abalizamento de qualquer programa ou plano de trabalho no campo pecuário, na indústria de alimentos, no combate a zoonoses, enfim na alimentação pública.

III – Algumas considerações finais:

          É imperioso que a opinião pública conheça, em detalhes, a participação atuante e permanente do Ministério da Agricultura (DIPOA), em problemas que interessam de perto a saúde da população, a segurança nacional, e a econômica da produção agropecuária. Trata-se, na verdade, de um dos mais perfeitos serviços de inspeção sanitária do mundo contemporâneo.
          Há vários longos anos, que o DIPOA, tal como verdadeira e tremulante bandeira verde e dourada, leva o nome do Brasil além das fronteiras, transpondo mares e oceanos. DIPOA, significa Inspeção Federal Brasileira, significa Brasil presente, Brasil evoluído, Brasil atualizado, Brasil dinâmico;
          A participação do SIF., na economia nacional é coisa impressionante, se não vejamos:
          Dados apresentados há vários anos pela Revista Integração, mostram o volume e valor da produção (carnes, leite, pescado, ovos e mel), inspecionada pelo SIF em dólar americano: 12.577.869.191. Se o agronegócio representa 46% da balança comercial brasileira, imaginemos a contribuição do SIF nesse processo. Dados atualizados, podem ser conseguidos junto à Diretoria do DIPOA, em Brasília.
          O carimbo do SIF, está presente em carnes (bovina, ovina, caprina, suína e aves), leite, ovos, mel, pescado e derivados. Visitando-se qualquer país do mundo, pode ser visualizado nas gôndolas dos supermercados, produtos de origem animal brasileiros identificados com o carimbo do SIF (Brasil Inspecionado – SIF) ; Diante do acima exposto, chega-se claramente à conclusão que o trabalho executado
pelo DIPOA, é de fundamental importância na defesa da saúde pública, na segurança nacional e nos interesse econômicos da nação.

Anffa Sindical

ANFFA Sindical é o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários
Setor Comercial Sul, Quadra 2, Bloco C, 4º andar, Ed. Jockey Club - 70.302-912 - Brasília, DF
+55 (61)3224-0364  / +55 (61) 3246-1599
+55 (61) 3968-6573 / + 55 (61) 99202-4764 
+ 55 (61) 99226-6626  / + 55 (61)99932-0149