16
Sex, Abr

+ Notícias

Rumo à aposentadoria, a Auditora Fiscal Federal Agropecuária (Affa) Cláudia Cordeiro recebeu homenagem dos colegas do Laboratório Federal de Defesa Agropecuária de Pernambuco (LFDA-PE) e do Anffa Sindical. Por videoconferência, todos reuniram para deixar palavras de carinho e amizade, além de prestigiá-la, por sua competência.

Toda sua carreira foi na rede de laboratórios do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A função de coordenadora já vem sendo ocupada por mulheres, há 20 anos, e, interinamente, outra Affa irá assumir, Adriana Leite.

“Seguindo o Regimento da própria instituição, fortaleci as Divisões Técnica Laboratorial e Administrativa, Serviço de Planejamento e Gestão Laboratorial, Serviço de Gestão da Qualidade e Seção de Biossegurança, processos ligados diretamente à coordenação. Unidos, constituem a Comissão de Gestão Estratégica do LFDA-PE, onde as estratégias são definidas e implementadas. Aprendemos muito juntas e ganhamos confiança e respeito. Portanto, não formei apenas uma pessoa para me substituir, mas uma equipe alinhada com as necessidades de funcionamento da Instituição”, enalteceu Cláudia.

Em sua família, muitos optaram pela Medicina Veterinária e ela teve grandes incentivadores, seu pai e um tio, ambos da área. “Logo nos primeiros contatos com o curso, tive a certeza que havia feito a escolha certa”, disse.

Iniciou sua carreira como médica veterinária no então LANARA-SP, hoje LFDA-SP, em Campinas, na unidade de Controle de Qualidade de Vacina Contra Raiva, onde permaneceu por oito anos. Após o nascimento do primeiro filho, solicitou remoção para Recife, iniciando as atividades no LARA-PE, hoje LFDA-PE.

“Como Affa atuando no LFDA, dei minha colaboração na construção e modernização do espaço físico e dos processos laboratoriais como um todo. Trabalhei em diversas equipes, assumi cargos de chefia e, no ano de 2006 junto com a coordenadora, em obediência às diretrizes legais, constituímos a Unidade Administrativa da instituição, com gestão própria de recursos financeiros. Com a aposentadoria de minha antecessora em 2016, fui convidada pela Coordenação Geral de Laboratórios Animal, a assumir a Coordenação do Laboratório de Pernambuco”, acrescentou.

Para Adriana, atuar como coordenadora substituta, neste momento, materializa a oportunidade de reafirmar a capacidade da mulher em desenvolver seu potencial. “É muito positivo proporcionar esta visibilidade. Há uma tendência em buscar a convivência ética e participativa”, explicou.

Leite decidiu aos três anos que seria médica veterinária. “Sorte minha não ter mudado ao longo do tempo. No início da carreira, trabalhei com aves silvestres – etapa que gostei muitíssimo. Com o passar do tempo, tive a oportunidade de me tornar Affa e contribuir com a sociedade de uma maneira mais abrangente, acabou sendo um caminho natural. Acredito firmemente que a carreira de Affa é uma das mais nobres no serviço público federal, estando em nossas mãos saber divulgar nossas ações para a sociedade”, concluiu.

0
0
0
s2sdefault