18
Qui, Jul

Artigos e Trabalhos Técnicos

O diagnóstico de medicamentos veterinários como carry-over e contaminantes em linhas de produção de rações para aves e suínos foi a defesa do AFFA (Auditor Fiscal Federal Agropecuário) André Barbosa da Silva feita durante a realização de um mestrado em Produção e Sanidade Animal no Instituto Federal Catarinense (veja aqui).

Ao trabalhar por nove anos na área de alimentação animal, o AFFA, que hoje atua no Lanagro de Santa Catarina, teve a ideia de pesquisar sobre tema ao constatar, durante as fiscalizações e auditorias, que os controles implementados pelas empresas no uso de medicamentos de uso veterinários via alimentação animal eram muito frágeis. Além dessa observação, havia relatos de responsáveis técnicos das empresas sobre dificuldades na execução da validação de limpeza das linhas de produção. Ou seja, não conseguiam limpar corretamente a linha de produção após o uso de medicamentos conforme preconiza a legislação.

Atualmente a legislação requer que o produto para alimentação animal fabricado após um produto com medicamento, possua no máximo 1% da dose de medicamento utilizada, este residual é chamado de carry-over. No entanto, este número de 1% não possui nenhuma base científica.

"Sabendo que o carry-over é importante tanto no controle da resistência aos antimicrobianos como na possibilidade de resíduos de medicamentos nos produtos de origem animal oriundos dos animais que consumiram estes alimentos, essa concentração de 1% é alta ou baixa? Objetivando chegar nesta resposta, pensei que o primeiro passo seria verificar a real situação do carry-over das rações fabricadas", disse.

Como temia, os resultados da análise ficaram aquém do esperado para os parâmetros estabelecidos pelo MAPA. Por conta disso, como recomendação, André Barbosa, sugeriu uma revisão da atual legislação, com implementação de maior rigor na apresentação dos estudos de qualidade da mistura para concessão das autorizações para uso de medicamentos na fabricação de rações para alimentação animal. A tese de mestrado, realizada com a autorização e apoio do Ministério, foi encaminhada à Binagri (Biblioteca Nacional de Agricultura) por meio da Enagro (Escola Nacional de Gestão Agropecuária).

 "O fato é que as bactérias estão ficando resistentes aos antimicrobianos e o uso inadequado destes medicamentos na pecuária é, sem dúvida, um dos maiores promotores desta situação. Constantemente vemos notícias de superbactérias em hospitais, então, acredito que se nada for feito, muitas pessoas morrerão por doenças bacterianas", destaca o AFFA.

Ele destacou que muito trabalho tem sido feito pelo MAPA para mitigar o problema da resistência aos antimicrobianos, destacando o trabalho da AFFA Suzana Bresslau, responsável pelo Programa Nacional de Prevenção e Controle da Resistência aos Antimicrobianos na Agropecuária.

0
0
0
s2sdefault